Biografia

Em 1980, Lilia Maturana se casou com Cecílio e se mudaram para Jardinópolis, onde fixaram residência, criaram laços de amizade e constituíram família, tendo os filhos Vanessa, Alexandre e posteriormente adotado a Izabel, da qual já é mãe de um casal de filhos.

Assim que se mudou para Jardinópolis, Lilia Maturana continuou seu trabalho artesanal iniciado na infância, agora profissionalizado e passou a oferecer seus trabalhos de decoração para os moradores de Jardinópolis, e mais, sem perder tempo, logo se uniu às entidades sociais, com destaque ao Rotary Club, oportunidade em que se tornou membro voluntário da Casa da Amizade, das Voluntárias do Hospital de Jardinópolis, da Casa da Criança e Diretoria da APAE.

Entretanto, a Lilia Maturana, mesmo colaborando com as entidades associativas, percebia que a cidade de Jardinópolis sofria com uma grande deficiência na alfabetização e formação de crianças e jovens, por conta da falta de incentivo da Administração Pública, oportunidade em que ela, em 1986 idealizou e lançou o programa “Educando para o Futuro”, onde a Lilia Maturana percorria os bairros, mapeando as crianças carentes e, muitas vezes sem ajuda nenhuma, adquiria todo o material didático, ou seja, cadernos, lápis, caneta, borracha, estojo, régua, dentre outros, para que aquelas crianças carentes pudessem frequentar e acompanhar as aulas.

O programa “Educando para o Futuro”, criado pela Lilia Maturana, durou cerca de dez anos, até o ano de 1997, quando o Governo Federal criou o FUNDEF, hoje FUNDEB onde, dentre as suas atribuições, gerou a obrigação dos Governos fornecerem referidos materiais didáticos.

Em meio as suas atividades, Lilia Maturana foi convidada pelo Deputado Corauci, para que no ano de 1992, disputasse uma vaga na Câmara de Vereadores de Jardinópolis. Nesta oportunidade, Lilia Maturana que nunca havia disputado eleições, foi eleita a quarta vereadora mais votada, com 336 votos.

Naquele seu primeiro mandato, a vereadora Lilia Maturana contou com o apoio incondicional do amigo e Deputado Corauci, para que fizessem o máximo possível para a população jardinopolense.

 

Dentre as conquistas obtidas pelo trabalho de Lilia Maturana e Corauci, destacasse a vinda da Escola de Formação de Soldados da Polícia Militar, que ficou conhecida popularmente como a “escola da PM”, a instrumentalização das fanfarras de todas as escolas públicas, e a instalação do poço artesiano e reservatório de água destinado a abastecer o bairro Vila Reis, liberação da construção de 155 casas no CDHU, hoje bairro “Antônio Duarte Nogueira”.

Além destes trabalhos, Lilia Maturana também iniciou, em seu primeiro mandato, o vinculo de prestação de serviços médicos, fisioterápicos e odontológicos, oferecidos pela Associação de Ensino de Ribeirão Preto (UNAERP), proporcionando médicos, fisioterapeutas e dentistas à população carente de Jardinópolis.

Outro destaque de Lilia Maturana logo em seu primeiro mandato, foram os inúmeros atendimentos sociais obtidos diretamente do governo do estado, onde a vereadora Lilia Maturana conseguiu atender inúmeros pedidos de cadeiras de rodas, aparelhos de audição e próteses.

Foi escolhida como candidata a prefeita nas eleições de 1996, que, mesmo derrotada, Lilia Maturana entrou para a história por quebrar os parâmetros tradicionalistas ao ser a primeira mulher a disputar a cadeira à prefeita de Jardinópolis, recebendo o título da população de “A Grande Guerreira”.

Em 2000 Lilia Maturana voltou a ocupar uma das cadeiras da Câmara Municipal de Jardinópolis, entretanto, naquele histórico período político, a vereadora Lilia Maturana se destacou pelas tarefas de fiscal do povo, quando exerceu um trabalho fundamental para investigar e punir desvios de dinheiro ocorrido na Câmara Municipal, episódio que ficou conhecido como o “roubo do milhão” e outros escândalos maiores cometidos pelo prefeito daquela época.

Nesse mesmo mandato, 2001/2004  Lilia Maturana ocupou por onze meses a Presidência da Câmara Municipal, consagrando-se a primeira mulher a ocupar esse cargo no município de Jardinópolis, com destaque que naquele momento de grande turbulência e incertezas teve uma administração impecável com implantação de sistemas de informática e controle interno daquela casa, disponibilizando o acesso irrestrito de toda a legislação municipal. 

Lilia Maturana voltou em 2009 a ocupar seu terceiro mandato como vereadora, agora com 357 votos, se destacando como autora de vários projetos de lei, como:

- Lei do Nepotismo, que proíbe a contratação de parentes do prefeito e vereadores pela administração pública municipal;

- Lei da licença maternidade, que estende para 6 meses a licença maternidade para a servidora pública municipal; 

Lei do IPTU VERDE, que indica ao Executivo a adoção de vantagens pecuniárias aos proprietários de imóveis urbanos que adotem medidas de preservação do meio ambiente;

- Lei Cidade Limpa Eleitoral, que proíbe carros de som para propaganda eleitoral, evitando poluição sonora e proporcionando maior igualdade entre os candidatos que não tenham condições financeiras para financiar esse tipo de propaganda.

- Projeto de Lei da Ficha Limpa, que estabelecia critérios para contratação de servidores públicos pelo Poder Executivo e Poder Legislativo, exigindo que o interessado apresentasse um passado ilibado. Este último projeto, infelizmente não foi aprovado pelos seus colegas obtendo cinco votos contrários e quatro votos à favor, o que acarretou seu arquivamento, não podendo ser reapreciado nesta legislatura MAS, Lilia Maturana já firmou compromisso que o Projeto Ficha Limpa Municipal será seu primeiro projeto em sua próxima legislatura. 

Lilia Maturana 25000 | É tempo de gente do bem

 

Informações Adicionais